terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Pobre

Sinto-me privilegiada todos os dias.

Posso acordar de madrugada, vir trabalhar e ainda tenho um amplo aquário – menor do que a casa do peixe Beta que eu tinha. Daqui eu tenho uma visão quase panorâmica dos acontecimentos diários...

O melhor de tudo é que, como em qualquer empresa que se preze, as divisórias têm cerca de dois metros de altura – ou seja, captam todos os sons do universo.

Dia desses uma estagiária caiu de pára-quedas no setor ao lado do meu aquário. Já fui dessa laia e sei qual é – devemos chegar de mansinho e ir mostrando serviço de qualidade e o comportamento discreto.

Mas, ela não sabe qual é. A querida trabalha direitinho, é bem legal e grita – e como grita! Ela tem um tom de voz que dói nas minhas orelhas-de-abano.

Coitada né! Além de ser estagiária e supervisionada pelo meu aquário, deve ser péssimo ter problemas de cordas vocais esganiçadas...

Pobre estagiária... e pobre dos meus ouvidos...

2 comentários:

Rico disse...

é verdade...ninguém merece colegas desse tipo...veja eu que quando trabalhava no setor do cadernoS...tinha morgana e carol...duas loucas q falam sem parar...e ainda falam mt alto...ninguém merece. Agora desci para a editoria (esou cobrindo férias d um colega) gostaria de nunca mais sair de lá....td calmo....td tranquilo...enfim...paz!

Anônimo disse...

guria, brigado por ter linkado minha coluna no teu lindo blog,
didi, da coluna do francisco, ahahaha
bjs